Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Das pessoas bonitas

Adoro olhar para pessoas belas e de certeza que já fiz muita mulher sentir-se mal quando começo a olhar (devem pensar que quero algo ou assim). Gosto de apreciar a beleza, tanto em homens como mulheres porque não se trata de algo sexual. Simplesmente aprecio.

Em forma de foto então, fico positivamente espantada à beleza de paisagens, pessoas ou mesmo algo abstracto. Gosto, fazer o quê!

 

*e aqui que ninguém me ouve grito: a tua foto está LINDA!

Do suposto Outono...

Diz-se e lê-se muito por ai que já estamos no Outono! Eu não vejo nada. As arvores ainda têm as folhas verdes, não estão os horriveis 37º a que já estávamos habituados, mas 24º a 26º acho uma temperatura bastante agradável. Para mais o céu tem estado maioritariamente azul, sempre que saio à rua vou de t-shirt e acho que os meses de Agosto e Setembro do ano anterior foram bem mais chuvosos.

Portanto ou eu encontro-me noutro planeta ou acho que há muita gente que ficou mal habituada com as temperaturas elevadíssimas que tivemos.

Das cobranças

Sempre ouvi falar mal das pessoas que cobram aos amigos. Ainda ontem ouvi sei lá onde, ou quem, a dizer que odiavam aquelas pessoas que têm uma amizade cobradora. Ao ver aquilo auto-analisei-me e posso dizer que ese é um dos meus defeitos... Se for preciso eu cobro sim! Ou então a minha definição de cobranças não está ao nível do dos outros.

Sou daquelas que com pequenas cobranças vai relembrando aos supostos amigos que estão a falhar. Sou do tipo -  “então como estás, já não dizes nada há algum tempo” ou então “se não for eu a ligar-te, nem sei se estás vivo” ou por exemplo “não dizes nada há 2 meses, não vales mesmo nadinha”, isto quando sei que só não ligam porque não estão assim tão mal para o fazer! E se me irem a fazer isto, é porque a coisa já não está a correr bem há algum tempo. Mas não me ficarei, ou pelo menos tento não ficar por estas dicas durante muito tempo, faço os possíveis para sentar e conversar com a pessoa em questão.

Agora a diferença de saber se é uma amizade que vale a pena ou não, é quando ao chamarmos a pessoa à atenção, ela sabe que falhou e reconhece o seu erro, ou demonstra o outro lado da questão (2ª hipótese esta que ainda não aconteceu)! E hoje aconteceu isso… Ela sabia que tinha falhado, pediu desculpas e para mim chegou.

Mas que agora tenho a certeza de que há pessoas a riscar do meu círculo de AMIGOS, isso há!

Be back latter…

Ladies & Gent’s… meet my new idol… Mr. George Carlin!

(Foto da net)

 

 

Como há alguns dias aqui coloquei, encontrei o este senhor e os seus vídeos. Uma descoberta revigorante, pois o humor é mordaz, arrojado, atrevido, polémico… Enfim, um comediante de mão cheia que critica tudo desde a sociedade norte americana, à religião (como o vídeo que postei abaixo) passando pelo ambiente, e tantas outras coisas, sendo o ideal, as perguntas super pertinentes sobre estas mesmas questões. Ao vermos a sua opinião traduzida em piadas fáceis, dá para perceber que o humor é realmente uma das maneiras mais subtis e eficazes de colocar na mesa os assuntos mais delicados que precisam ser discutidos. Claro que poderão existir aqueles que não percebem a mensagem e deixar-se-ão ficar pela ideia de que, sendo assim, nada vale a pena.

Cá eu amei. Ainda por cima tratando-se de stand up comedy, a genuína, não a tentativa frustrada que ainda ocorre em Portugal.  Já saquei os inúmeros shows que encontrei, preparo-me para vê-los com toda a atenção que me for possível. Aconselho o mesmo a toda a gente.

 

O senão de tudo isto,  além do meu atraso neste tipo de descobertas como já antes foi dito, é descobrir algo tão bom, e saber que não haverá mais, já que George Carlin faleceu em 2008.

Das amizades

Sempre fui uma menina que punha todas as amizades num pedestal! Sem saber bem o porquê, sempre que alguém demonstrava real amizade por mim, ganhava instantaneamente um lugar no meu coração, daqueles que ficam bem lá no alto da minha consideração. É um mecanismo meu, amigos para mim são mesmo dos maiores tesouros que tenho na vida, disso acredito piamente.

Esse processo poderia demorar mais com uns e menos com outros, porque demoro a confiar, a ceder, a dar-me! Mas quando isso acontece quem meu amigo é sabe que me dou a 100%, que dia ou noite,se precisarem eu estarei lá (e não digo isto só porque é bonito,faço os impossíveis para consolar um amigo).

Agora, o que têm-me vindo a deixar pensativa e até triste, é a conclusão, talvez errada, de que se calhar, há pessoas que não merecem uma amizade tão séria como a minha... e a razão recaí no facto de que, como já li algures, uma das características que uma relação deva ter é a reciprocidade... Para quê dar-me a 100% quando só recebo 50?! Para quê correr atrás de alguém, quando é a minha vez de precisar de um abraço ter de contar apenas com o meu. A quantidade de vezes que a vida insiste em esbofetear-me chega a ser insana, e mesmo assim, há quem não esteja lá SEMPRE.

O pior é que no fim de tudo isto, ainda fico a  pensar que poderão ser ideias da minha cabeça, agora que ando tão pessimista nestas coisas que já vejo tudo negativo...

Talvez seja filme meu, talvez não, mas nunca antes na minha vida decidi com tanta firmeza reavaliar aqueles que realmente estão comigo, ou aqueles que estão comigo por interesse! Prevejo portanto, algumas conversas sérias.

 

Pág. 1/3