Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Ah.....

Só mais uma coisinha... Deste meu post aqui  há uma  importante ilação a tirar.

Há sensações, saudades, sentimentos, o que queiram chamar, que nos assolam em certos momentos, por uma ou outra razão.Quando isso acontece, só queremos fazer o que no momento achamos melhor, para acalmar essa dor/sensação - entrar em contacto com essa pessoa, senti-la mais uma vez e dizer o que se quer.

Eu pensei seriamente em admitir em plenos pulmões um sincero "ainda gosto demasiado de ti", ao telefone ou pessoalmente, sabendo que estaria a largar uma bomba atómica. Mas contive-me, tive as minhas razões para isso, e cada vez mais tenho a confirmação  de que são mais que válidas - É que hoje vejo como teria sido um ENORME erro.

Há momentos em que temos mesmo de encostar e esperar que este tipo de vontade passe.

 

 

Preguiçosa.... Quem, EU?!

A minha operação mensal de preguicite aguda foi ontem levada a cabo. Fiquei o dia todo de cama, e não,não estou doente. Desde as 12h que acordei até as 23h30 mantive-me na ronha, apenas levantei-me para o essencial - higiene e alimentação. Uns diriam desperdício, outros diriam tolice, eu cá estava mesmo a precisar e foi tããão bom.

Vi o UP - Altamente, e gostei, muito sweet. Vi séries e andei na converseta com as gostosas da noite anterior (Oh, by the way, a saída foi mesmo engraçada, já não dançava assim há muito tempo, a repetir).

De vez em quando tem de ser assim, descansar o corpitxo e não fazer nada. Como dá para perceber, sou adepta do Dolce Fare Niente.

Volto depois.

Da vida

Triste reconhecer no seu olhar a tristeza.. Tiste esta sensação que me invadiu.

Se estava preparada para vê-lo?! Não, nem um pouco... Mas já está, já foi e se doeu não poder partilhar do afecto que tanto nos caracterizava, foi uma lufada de ar sentir que consigo suportar destas situações.

Isto de ficar amiga da familia tem muito que se lhe diga!

Sou oficialmente uma mulher...

Tenho a mala tão cheia de tralha, mas tão cheia de tralha que não encontro o que quer que seja lá dentro!

Belos tempos em que apenas andava com as chaves de casa, o telemóvel e a carteira numa mala minúscula... Pois, lá está, o problema é mesmo este, andar com malas enormes. Quanto maior, mais coisas vamo-nos lembrando de colocar e depois dá nisto. Ontem ao comparar com a mochila que o meu irmão leva para a escola, estava quase com o mesmo peso (se colocasse mais um livro teria sido igual)!

Começo a perceber o porque das dores nas costas...

Dos livros

Num rasgo de loucura comprei o comer orar amar.. Era para ser Saramago, mas para mudar um pouco de registo também... Além do mais já ouvi falar tanto no livro.

Acabei hoje de ler "A prenda de natal" que tinha sido a minha prenda de natal (a fabulosa titia deu). Apesar de não ser o meu estilo de livros, gostei bastante, foi no timing perfeito.
Agora siga o próximo...

 

Quem tem mãe tem tudo

Pelo menos a minha deixa-me com este pensamento na cabeça. Não é apenas minha mãe,mas minha amiga e confidente. Não conto tudo (acho que há coisas que não devem ser contadas), mas quando o caso são problemas sim, apelo ao seu conhecimento da vida.

É uma sobrevivente, já passou por muito, e se cheguei a perdoar algumas das suas falhas (que foram graves) foi por saber o quanto a vida já a testou.

Hoje mais uma vez apelei ao seu colo, ao seu mimo e consolo. Não me disse nada que eu já não soubesse, mas lembrou-me que há certos caminhos que não poderão ser arrepiados. Cheguei até aqui, irei muito mais longe, acredita.

Vou acatar os conselhos dados... E é nestes momentos que sei ter, não a mais perfeita, mas a melhor mãe do mundo.

Viagens ao fundo do meu eu

Esta mesma tristeza que se apodera do meu ser, de quando em vez, poderia ser afastada. Poderia fingir que não me afecta e concentrar-me apenas naquilo que tenho de bom na vida. Poderia, mas não sou de ignorar os sentimentos que me assolam. Se isso acontece é porque há uma causa para tal. E é nessa busca para encontrar respostas que mergulho numa angústia que dá dó!

Tento eu própria responder a questões que ficam ali, bem escondidas, vou tentando perceber o que se passa cá dentro.

Por estes dias tem sido assim, desde o meu dia que o era (inconscientemente) e hoje, depois de uma noite conturbada, mal dormida e de sonhos perturbadores acordo a perceber-me um pouco mais do que escondo e vou sentindo.

Se tenho as respostas todas, não, ainda não, mas que já me sinto muito melhor sinto.

A verdade é que passa por auto-descobrir o meu eu real.

 

Pág. 1/6