Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Espero realmente que dure e dure e dure e dure e dure

Chegou o tão esperado fim de semana do casamento. Fazia algum tempo que não ia a um. O interessante deste é que foi o da minha mea... O casamento daquela que dizia a peito cheio que nunca se iria casar... Pois não, e muito menos com o melhor amigo!

A história destes dois só comprova que a vida é demasiado irónica para fazermos troça dela. Mas falava no fim de semana e na correria que este foi.

Sexta feira, sair do trabalho, fazer-me à estrada na viagem de despedida do meu descapotável... Meu querido peugeot, já ficou na terrinha sem mim (snif snif). Viagem feita nas calmas, sempre na conversa, muito bom).

Sábado, acordar, gozar um pouco do silêncio que aquele rio me proporciona, respirar ar puro, e relaxar completamente. Levar o primo à piscina (que está cada vez maior) e jantar com a família.

 

Domingo, o que posso apontar:

- Nunca jamais em tempo algum imaginei que fosse ficar emocionada ao ver uma noiva (quase me vieram as lágrimas aos olhos quando a vi sair do carro... LINDA)!

- Caipirinha quando não se está à espera sabe mesmo bem (então com a brasa que estava...)

- Os olhares cúmplices e enamorados dos noivos deixaram-me enternecida.

- Chamei bem mais a atenção do que gostaria (comentário de um amigo "estás com um pernão")

- Tirar fotos com os noivos com máquina própria e em posições patéticas é muito mais engraçado, aconselho vivamente.

Eu sabia que hoje seria um dia FENOMENAL

Epá, melhor do que mensagens a elucidar o quão satisfatória foi a noite, melhor, melhor, mas melhor mesmo só a notícia de que vou assinar um contrato! E tendo em atenção o actual estado de mudança profunda da Fundação, dizerem-me que ainda é sigilo, mas que há pessoas que querem "guardar", foi qualquer coisa para animar-me pro resto do mês...

Não é algo por ai além, mas na actual conjuntura do país, acredito mesmo que a nível de trabalho as coisas devem ser um passito de cada vez... Mais uma vitória para mim!

 

If you think you're weird... Think again!

Uma coisa natural que sempre fez parte da minha vivência foi ter desejos... já há alguns tempos escrevi textos em que isso é visível. Sou uma menina assim, que almeja várias vezes por comezainas estranhas, fazer o quê. Estar no meio do verão e desejar arduamente castanhas, ou em pleno Janeiro apetecer-me comer um gelado que só encontro na feira de S. Mateus (anual, apenas nos meses de Agosto a Setembro). Acordar a meio da noite e querer um pedaço de chocolate ou a meio do trabalho parar tudo para comer batatas fritas, sonhar que como guloseimas e saboreá-las de forma tão realista que acordo saciada é algo com o que já me habituei....

 

Agora, não acho normal estar na minha vidinha e sentir (porque é mesmo um sentir intensamente, um sentir no meu paladar) o sabor a algo... Assim, do nada, sem que eu, necessariamente, mentalize a vontade de comer algo, sentir o sabor de aletria (ADORO) na ponta da língua transpõe qualquer barreira de esquisitices que já me aconteceram. Foi a segunda vez que tal me aconteceu, há poucos dias tive a mesma sensação, mas por outra coisa qualquer...

Deveria ser alvo de um estudo qualquer, ou no mínimo ser internada porque isto claramente dá dois dias antes do TILT final!

Previsível

O bem estar repetiu-se.

O bem estar, a parvalheira, a risota, a química... Os beijos divinais! Até o silêncio nada constrangedor .

Para cúmulo, até o habituar-me a dormir acompanhada começa a deixar de ser penoso...

 

 

E há muito que a luzinha vermelha já se acendeu na minha cabecinha, mas fazer o quê, já o outro dizia, quem não arrisca...

 

Pág. 1/3