Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Love, Love, Love

E com a chegada de Fevereiro, a proximidade com o dia 14.
A minha birra com este dia já é conhecida, fazer o quê... Não embirro propriamente com o celebrar-se o amor, nada disso, embirro com a quantidade de casais que obrigam-se a sair e a mostrar ao mundo o seu amor (que tantas e tantas vezes já nem sequer existe). Tenho a sensação que nós, portugueses, temos esse hábito. Sair para jantar nesse dia chega a ser deprimente (mesmo estando com o coração bem ocupado).

Sei que a minha embirração seria bem mais atenuada se fosse dia do amor, nas suas diferentes formas. Acho muito mais bonito celebrarmos o amor com um familiar querido (como já me aconteceu). Acho um encanto, por exemplo, enviar à minha tia um cartão com um simples “Will YOU be my valentine?”.
Ao namorado/cônjuge/parceiro, ou o que for, podemos e dizemos isso com maior frequência. A estas pessoas, por norma, esquecemo-nos de o fazer... digo eu! Para mim o dia de São Valentim seria muito mais significativo se assim fosse. Mas pronto, tenho de me contentar com a ideia de que há aqueles cujo dia é usado como pretexto para expor e demonstrar publicamente (é este ponto obrigatório que me atrofia o sistema) toda e qualquer manifestação de carinho.

...

 

Caramba, janeiro passou num sopro! 30 dias correram sem que desse conta, e já se avinha o mês de fevereiro... De apontar, se o primeiro mês do ano for um prenúncio do que virá, que ano bom me espera! A ver vamos...

A humanidade a surpreender-me uma vez mais

encontro-me chocada depois de uma amiga partilhar comigo uma fotografia encontrada nesse belo local que é o facebook. São 3 meninas, ainda menores de idade pura e simplesmente nuas! assim, resolveram que seria bonito tirarem uma foto as 3 como vieram ao mundo e publicarem na net... Só porque sim.
além da vontade que fica de dar um valente par de estalos a cada uma, juro que tudo o que queria era eprceber estas ricas mentes, e qual o intuito das mesmas ao ter atitudes deste género! Não entendo, juro que não entendo!

Cansada

A 13 meses de trabalho – quase 14 - e com apenas 2 semanas de férias (sendo que uma delas resumiu-se a palmilhar Manhattan incansavelmente),  chego à conclusão de que necessito, com alguma urgência, de férias.  Preciso de descansar a minha mona, não fazer nenhum durante uns tempos, pois estes últimos dias têm sido horrendos no que ao acordar diz respeito. O fim de semana já não me chega, até porque parte dele é mesmo para arrumar a casita. Preciso de descansar, pois a motivação e concentração começam a ser nulas!
Pensar seriamente em pedir uns dias, que se não daqui a nada dou o tilt!


Um passinho de cada vez

Devagar, devagarinho... Passos dados lentamente, mas de forma autêntica! Este querer ir com o máximo de calma possível, não vá estragar-se

o que de maravilhoso existe por causa de outros ímpetos. Conhecer e dar a conhecer, aos poucos, sem pressas. Apenas o simples interesse ao descobrir alguém que parece ser fantástico. O resistir, resistir convictamente, até não aguentar mais. É a partilha de beijos e carinhos tão esperados... É tudo isto, (e tão mais) no espaço de poucas semanas. É o revirar o mundo do avesso... É a vontade de mais, todos os dias. É o depositar esperanças neste novo capítulo. É o saber que nada é para sempre, e mesmo assim, investir um pouco de nós nesta história.

Porque vale(s) a pena!

Pág. 1/6