Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Cartas recebidas

"Não te preocupes com nada. Apesar dos altos e baixos, estarás mais feliz do que nunca, num trabalho que te agrada, rodeada por aqueles que te amam. Família, amigos e amor. Sim, finalmente esse amor anda a dar reais frutos e só tem dado indícios de que é para durar... aproveitar, é aproveitar que a vida são dois dias, e o pior já foi num deles.
Have fun you crazy."

Ontem disse-lhe

“Achas mesmo que é necessário usar da tua arrogância e perderes tempo com pessoas com as quais não vais à bola. Porra, eu não, eu sou mais de desprezar e seguir caminho. Acho-me muito mais superior agindo dessa forma, do que tendo a necessidade de dizer algo a quem não suporto”.

Talvez egoísmo, talvez amor-próprio...

Chegou o meu tempo, aquele momento em que opto por não correr atrás. Em que espero que o outro lado venha ter comigo e não seja eu a única a fazer acontecer. Corro atrás, corri muito, tive iniciativa, quis, fiz por isso (sempre fui assim em tudo). Mas, desta vez, resolvi canalizar esse sentimento de forma um pouco diferente...
Passou-me pela cabeça a injustiça que poderia estar a cometer, senti o meu coração pequenino só de pensar que poderia ser precisa e estava a recusar. Foi-me possível ultrapassar este pensamento e mentalizar-me que, se as saudades fossem realmente mútuas, o encontro dar-se-ia de qualquer forma. Não se deu! E para mim o pior de tudo isto é que não me custou assim tanto...

Amo mesmo muito mas, como tudo, têm de ser os dois lados a fazer acontecer, e não tem sido assim.
É este acordar, este aperceber-me da realidade que me rodeia, e tentar geri-la da melhor forma, que me faz distinguir os verdadeiros dos acessórios. Não gosto mas é um mal necessário.

Pág. 1/4