Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Tempo de antena a quem não merece mas continua a insistir!

Ainda estou para perceber se é defeito ou feitio mas sei separar o trigo do joio. Apesar dos pesares, quis o destino que eu me desenvolve-se e tornasse num ser humano equilibrado. Por exemplo, apesar do meu ódio de estimação, reconheço e digo a várias pessoas que o meu padrasto é uma pessoa afável. Facto, é muito simpático e agradável de ter por perto, quando o assunto é conviver. Quando devemos reconhecer, há que saber reconhecer a verdade.
Tenho dito a quem comenta que compre o livro que tu escreveste, porque sei que as tuas enormes falhas de carácter e desequilíbrio mental não influenciaram o teu dom para a escrita. És bom, é um facto que não poderei negar e a história é interessante. Agora, não confundas essa minha particularidade para achares que a conversa e o pedido de desculpa que ficou para ser tida lá atrás deverá ser tida agora. Não é! Diz que sou teimosa comá putassa, e não é que uma das minhas crenças é achar que as desculpas ou são ditas no momento correcto, ou quando muito atrasadas deixam de fazer qualquer sentido. Não tenho a mínima vontade ou razão para querer perder o meu tempo precioso a falar sobre coisas que já se desenrolaram noutra vida. Pode parecer-te impossível mas cresci, evoluí, não é fantástico?!  Devias fazer o mesmo, a sério tenta e verás que consegues. É que é chato essa tua necessidade de manter contacto com a minha pessoa, embora não seja recíproco. Já disse e repito, não te quero na minha vida, na minha história. És a segunda pessoa que sabe bem o que perde, ao perder a minha amizade. Já há muito me apercebi que amigos como eu não abundam por aí, e se alguém deita a essa felicidade pela janela, deverá arcar com essa escolha, certo!?

E não me interpretes mal, já nem é ódio nem raiva nem nada que se pareça, é mesmo aperceber-me que não me fazes falta! Se é isso que queres ouvir, estás perdoado, já coloquei a nossa história de lado há muito. Podes seguir em frente. Restitui o que falta de bom senso nessa cabeça e tem o mínimo de orgulho para não voltares a fazer figuras tristes que abundam por estes últimos dias. Segue mas com a certeza de que eu fui um dos teus capítulos e que está mais do que encerrado. Boa sorte para a vida, mas esquece-me! Agradecida.

Sabes que foi uma noite do...

Só de pensar que não estava assim com tanta vontade de sair, e fi-lo apenas por saber que tão cedo a minha agenda não permitirá bailar, arriscando perder o noitão que foi deixa-me embasbacada. Ficar rouca não por falar muito ou gritar, mas sim por rir às gargalhadas acho que é mesmo a primeira vez que me acontece. Sabe bem conhecer pessoal cujo intuito não é o engate, ficar na galhofa até às 6h00 da manhã e só parar porque tínhamos todos de nos dirigir para o trabalho. Esta noite com certeza ficará tatuada na minha mente. A noite da directa, em que encontrámos um palhaço tão palhaço como nós. Apesar das horas que fiquei a dever à cama, sem dúvida das melhores noites dos últimos tempos.

Abatida

Hoje pela primeira vez apercebi-e que, se calhar, a nossa amizade realmente atrapalha muita gente, e há quem queira que não saia mais com ela. Fiqueitriste por achar que há no mundo assim, gente tão pequenina!
Amanhã vamos bailar como sempre, pretendo divertir-me e  a grande verdade é que vou perguntar o que raio se anda a passar.

Pág. 1/4