Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Fim de semana dos bons

Deu para visitar o Pavilhão do Conhecimento, que já não acontecia há muito. Jogar ao Uno, tê-lo a  dormir comigo pela primeira vz em minha casa e sentir o amor de uma família feliz. De facto, a felicidade é visível, soube-me bem vê-los juntos, felizes, apaixonados... Olhar para eles fez-me acreditar no amor verdadeiro, sim ele existe e eles são a prova viva disso. Fiquei de coração cheio.

Coisas mesmo mesmo boas?

É ser submetida a uma operação do dia para a noite. Ok, foi uma pequena cirurgia mas ter de me submeter, uma vez mais, à anestesia geral foi dose. Desta vez as dores foram horrorosas, se puder evitar aquele hospital, evito porque apesar de muito boa vontade dos profissionais, senti-me como carne para canhão. E não, não estou a falar do hospital Amadora-Sintra!
A recuperação tem sido assim-assim, hoje fiz questão de tentar vir trabalhar, mas não está a ser assim tao facil como pensei que seria... Só espero que para o final da semana já me sinta bem melhor e os pontos caiam...

Dias diferentes

Foi bom ter a sua visita e poder passear por aí e esquecer o trabalho um bocado. Ter refeiçoes mega agradáveis, ver um lindo por so sol e aina ficar com as costas e pescoço um mimo, depois de todos os nódulos que facilmente crio terem sido aniquilados.
Apesar das poucas horas de sono serão momentos a repetir.

Ainda das férias e do melhor que tiveram

Apanhar e comer amoras como fazia antigamente. Durante alguns anos elas tinham desaparecido, ficou apenas na minha mente o prazer de procurar as ditas, grandes o suficiente para me fazerem as delicias. Este ano foi a desforra, de facto deu para adoçar os dias ainda mais. Foi lindo de se ver, tia e sobrinhos à caça...

Momentos que deixam saudades.

Numa nota totalmente oposta

No Solo Itália, em Belém!

Fui  lá com a vontade de comer crepes pois tinham-me dito que eram fantásticos e gigantes (o suficiente para ficar a sonhar com o local de imediato) mas a experiência revelou-se uma real desilusão. A começar pelo local, pensamos em Belém (ou eu penso vá) como o meu local de eleição em Lisboa mas o que encontrei foi o oposto. A esplanada fica junto ao espelho de água, ou lá o que aquilo é, cujo cuidado deveria ser muito superior. Estava imunda e comer com aquele pequeno esgoto ao lado não foi de todo agradável. Mas ai ainda pensei em dar uma oportunidade, poderia ser um dia não. Siga para o atendimento, nada a apontar por aí além. Quando me chega o crepe ao prato, pude logo ver que não era 1/3 daquilo que me tinham dito, absolutamente nada de especial (como muito melhor no ice it do Forúm Sintra, mesmo, MUUUITO melhor)! Para finalizar, ao dirigirmo-nos à caixa para pagar, com a pressa não pedimos o talão sentados, parecia que a cara senhora que estava a trabalhar (embora ela possa não se lembrar de que estava a prestar um serviço) só faltou chamar-nos nomes por não sabermos qual o numero da mesa onde estávamos sentados. A cara de enjoo foi a gota de àgua para eu confirmar que ali não regresso. Tirando a menina que nos recebeu com um sorriso sincero e simpatia agradável, todo o resto da experiência foi assim a modos que lamentável.
Oh wel..

 

La crêperie da Ribeira

Adoro partilhar com todos os meus amigos quando vou a um local e sou bem atendida. Geralmente resulta na minha pessoa a fazer uma publicidade gigante ao espaço porque acredito que vale a pena publicitar quando o serviço é bom.

Ultimamente, ando numa demanda por locais onde me seja agradável ter uma refeição e como estas descobertas de novos locais têm-se multiplicano, vou aqui deixar posts em jeito de lembrete de locais que valem a pena o meu tempo e dinheiro.
Hoje falo da Creperie da Ribeira, no Cais do Sodré. Resumindo, um local recente onde senti-me de novo em Paris, onde o crepe foi dos melhores dos últimos tempos e o sítio mega agradável e bastante em conta.
A repetir.

 

A foto fui mesmo eu que tirei

A vida corre-me bem?!

Ora vejamos, tenho tido a hipótese de realizar todos os sonhos a que me proponho, o trabalho continua a correr bem, os planos de última hora vão alegrando os meus dias e raramente sinto menos falta daquele “algo” que sempre esteve presente!

Tenho tentado perceber o que me continua a agradar e a afastar do que, e de quem, me desagrada ou não acrescenta nada de bom à minha vida, continuando, no entanto, a desejar uma vida feliz a quem seguiu por um caminho longe do meu.

Vou tentando melhorar características muito próprias e por vezes incompreensíveis para os outros ainda assim aceitando-as, até porque fazem parte da minha essência.
No fundo, vou-me permitindo ser quem eu sou, sem sentimentos de culpa ou de inferioridade e isso só pode ser bom.

Se a vida têm-me corrido bem? Após tudo isto, só posso ter certeza de que sim, com a certeza de que ainda pode melhorar!

Pág. 1/2