Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Das coisas que me deixam mesmo feliz

Eh pá... Descobri como fazer um chocolate quente em casa que me vai fazer poupar uns bons trocos.
Partilhei com a A. para que ela me pudesse confirmar se era da minha cabeça ou se, de facto, tinha descoberto a 8 maravilha culinária da minha vida. Fica cremoso, guloso e suave, eh pá, só de escrever começo a salivar. Como é óbvio, ela confirmou e agora tem sido a loucura para eu conseguir me segurar e não fazer a receita todo o santo dia.

17

Não tenho escrito nem falado muito sobre a coisa porque, pura e simplesmente, ainda não assimilei. Pela primeira vez tenho uma viagem agendada e ao contrário de todas as outras, sem grandes planos definidos. Os locais de eleição estão apontados mas os detalhes foram postos de parte, não consigo estruturar a coisa como antes fazia, não dá! No meu meio vou fazendo a contagem decrescente e sorrio com eles a cada vez que o digo mas, no entanto, a emoção não me deixa assimilar o facto. Tenho a mala para fazer, compras para levar, coisas para organizar e pouco tempo para tal. Para contrariar esta incredulidade, ontem peguei numa caneta e comecei a escrever uma lista com as coisas indispensáveis e inclui o victan! Para prevenir vou munida dele, não vá ter um ataque de ansiedade durante o vôo.

Hoje de manhã, enquanto sentia o sol na cara sorri, senti a proximidade da data e acho que, pela primeira vez, tive a noção de que está para acontecer... 17 dias.

...

O meu maior sonho, aquele que está lá no topo da minha realização pessoal passa por constituir uma família. Para isso acredito que é preciso uma combinação de sorte e perseverança.
A primeira porque neste mundo onde todos andamos meio perdidos, onde mal sabemos o que somos, quanto mais o que realmente precisamos, facilmente nos poderemos perder no vale do comodismo e assentar por algo menor do que merecemos. Somos muitos os perdidos que se contentam com uma ideia abstracta do que é o amor e é preciso sorte para, no meio de tanto joio, encontrar do bom trigo.
E a segunda porque precisamos aprender a dizer não, colocar um basta numa situação que nos incomoda e prende a algo que apenas nos mantém tristes, miseráveis ,que nos tira o gozo pela vida, que nos consome de forma negativa. Saber dizer não às migalhas recebidas quando aquilo que nós damos é completo amor.
Posso não vir a ser bafejada pela sorte de encontrar quem queira partilhar a sua vida comigo, quem esteja disposto a evoluir comigo, mas se mantiver esta garra de saber desenvencilhar-me de pessoas/situações/relações que já não têm absolutamente nada de bom, então sei que a minha parte está feita… o resto deixo ao acaso, pode ser que a sorte me encontre.

Pronto, faz-se os 29 anos e dá-se o badagaio!

Não é que desde as 20h do dia de ontem que aqui a menina vê-se confrontada com uma situação de hipertensão! Eu, cujos valores sempre foram os mais baixos possíveis e que, tirando um pequeno susto as 12h, tive um dia mega tranquilo e zen, stress 0.
Juro que não entendo isto, é tão estranho que ontem achei que o medidor de tensão da mummy estava estragado, aqueles valores eram impossíveis, não fiz caso.
Chega-se ao trabalho de manhã e são tais as tonturas que sou recambiada para medir a dita novamente... Vai de 14.5 e infimos minutos depois 13 qualquer coisa!
Bom, a parte boa é que se continua assim, vou para casa mais cedo…

E faço anos!

E estou de coração a abarrotar depois de uma despedida dos 28 em grande.

Sim, ontem festejei os 28 anos e do que me trouxeram de bom. Uma almoçarada que se transformou em lanche e em jantar… Feito do pé para a mão com os verdadeiros… Não poderia estar mais contente.
E hoje início os meus 29, com vontade de continuar a sorrir e a abraçar as mil e uma bênçãos que tenho com ainda mais vontade.
Ah e claro, apesar do temporal que se fez sentir nos dias que passaram, hoje o sol lá fora brilha e aqui dentro também. I’m happy!

Pág. 1/2