Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Fim de semana 5*

Sexta feira foi a reunião lá em casa. Cada vez mais aprecio estes momentos entre o pessoal, em local diferente que a terrinha. Confirma-se a velhice, era 00h00 e já estavamos todos rotos e com sono. Sábado foi o encontro com a N. e com a N., J. incluído. Um passeio de tarde, a comer crepes na Amorino (um dos melhores locais para gelados na capital) transformou-se num serão tardio, com a minha chegada à 01h00 a casa e que só não se prolongou porque não tinha levado carro. Há muito tempo que não me ria tanto, foi um verdadeiro prazer passar a tarde com as meninas. E apreciar as novas amizades qeu se vão fazendo. Quem diria, um acaso uniu-nos e agora, será para manter. Gosto disto, gosto mesmo.

Sensação de dever cumprido

Trabalho, é sempre muito trabalho, horas de sono a menos, stress a mais, e um sem fim de confusões e momentos tensos… Mas vale a pena, vale tanto a pena que todos os anos volto para o mesmo. Desta vez não foi excepção, Mais momentos para recordar, desta vez com a dança à chuva. Aquilo de que tínhamos medo tornou-se no tempero ideal para uma noite de loucura. Quando mais chovia mais maluco o pessoal ficava, mais adesão. Nem os relâmpagos acalmaram os ânimos. Outra experiência/recordação que ficou guardada no coração.

Os acontecimentos confundem-se, estes dias são muito semelhantes entre si. Tento descortinar e são poucos os dados que me fazem perceber quando foi quando. Mas desde casais improváveis; a conversas sinceras de última hora para fazer o pequeno P. (que já está bem maior do que eu) perceber que o caminho escolhido pode sempre ser modificado; a dormir em pé, a aproveitar os minutos ao máximo para poder descansar no rio (incluí a ida ao rio em que tanto eu como o tio Bá ficamos em silêncio, apenas a apreciar e a descansar verdadeiramente); a comer, a comer para caraças porque é só o que a minha família sabe fazer. Assim descrito não parece nada de mais, há coisas que só depois de serem vividas é que se compreendem. Foi bom, foi muito bom. Celebrar mais um aniversário da S. com muita alegria. Acho que é isto que se quer, certo? Momentos de felicidade que vão preenchendo o nosso livro de recordações. E o ano ainda só agora chegou a meio, até à sua recta final terei muito mais para celebrar.