Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Lucifer Tobias C.

Ontem a minha avó foi lá a casa. Conheceu o meu animal de estimação e apesar de ficar triste por ainda não ser um bisneto de verdade, deliciou-se com o pequerrucho. Até disse que se estivesse mais perto o adoptava. Eu sorri e comprovei que a minha escolha foi a mais acertada.

Adoptar um animal acarreta, de facto, muita responsabilidade. Tratar de um é como tratar de uma criança. Vigiá-lo,, mimá-lo, educá-lo,  gastar rios de dinheiro e ficar a pensar no que poderia ser feito com o mesmo se não fosse para o animal. Ter uma paciência de Jó quando o bicho faz porcaria, enfim, uma infinidade de aspectos que comprovam a necessidade de se conseguir desenvolver muito amor por um animal para que ele seja tratado como merece – sempre da melhor forma possível.

Ter um gato é de facto especial, a sua natureza independente faz com que tenhamos de aprender a lidar com eles, conquistá-los. E eu que adoro um bom desafio e sempre interpretei o acto de “domar” alguém – animal ou não – um real atractivo não poderia resistir. Saber que depois de pouco tempo o meu animal vem deliberadamente ter comigo para uns miminhos doces e que demonstra toda a confiança em mim, é de encher o ego.
Gosto de ter ali a minha companhia, o meu “guardião”, o meu amuleto da sorte e estar lá para ele. Gosto de o ver crescer e descobrir como pode um gato ser inteligente. Assimilar que ele pode perceber-me bem melhor do que nós julgamos, como quando me apercebo da sua bondade quando me vê triste e se aproxima e estica a patinha em jeito de carícia, “chamar-me” para brincar com ele às escondidas, os meios que ele arranja para atingir uma finalidade entre tantas outras coisas.
Se calhar era mesmo suposto este animal cruzar o meu caminho, ser parte da minha família e alegrar tanto alguns dos meus dias menos felizes. Se calhar fazia parte eu resgatá-lo e dar-lhe um tecto, alimento e amor para ele ser feliz…

Hoje, dia 13 de Julho nascia o meu gatinho malandreco.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D