Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

Há sempre algo que não tem explicação

Como explicar que não é loucura, não é desejo, nem sequer saudade… É um sentir que não é meu, é o tomar para mim sensações que não me pertencem. É saber que há uma conexão forte, sem sequer perceber como ela se deu. É confirmar que não sou eu que sinto falta mas que há quem sinta falta de mim, eu dar-me conta é um bonús. É não saber como me desligar!
É sentir-me confusa e, na verdade, com medo de que ainda não tenha passado e de que ainda vai custar. São os fantasmas, esses desgraçados, que meia volta me rodeiam só para me lembrar que hei-de sentir até ao fim dos meus dias. E é isso, é o que sinto que não sei como transmitir ou sequer partilhar para que me possam acalmar. Sentir-me louca, sabendo bem que não são loucuras de amor… É saber que é muito mais do que aquilo que aparenta ser…

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • Ah, as minhas ideias para prenda de natal...

    08 Novembro, 2013

    Apesar de estar a fugir a sete pés da ideia de que já estamos quase a entrar na época (...)

  • Bom, bom é ter uma overdose de Ilvico!!!

    09 Julho, 2013

    Neste momento encontro-me com uma das gripes mais ESTÚPIDAS dos últimos tempos (sim, gripe (...)

  • Merda para isto

    31 Julho, 2012

    O meu 6º sentido dá-me uma trabalheira desgraçada. É isso mesmo, agasta-me, pura e (...)

  • Do crescimento pessoal

    25 Outubro, 2010

    A sabedoria não nos é dada. É preciso descobri-la por nós mesmos, depois de uma viagem (...)

  • The L word

    25 Outubro, 2010

    De vez em quando, em noites como a de hoje, em que o sono teima em aparecer tardíssimo, (...)

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D