Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

(+) Uma maluca que julga ter juízo

Desabafos e bocados do que vou (vi)vendo...

O que é que eu estava à espera?!

Dois anos da minha vida foram passados a conhecer uma pessoa, a estabelecer um elo demasiado forte para ser explicado. Durante dois anos adormeci e acordei a pensar nessa pessoa, temi pela sua vida, preocupei-me genuinamente. Senti o retorno da preocupação e do sentimento. Senti a dor que a distância física provoca, senti o coração arranhado quando me apercebi que o melhor seria distanciar-me de vez. E tentei, tentei arduamente, mas o universo assim não o quis e voltou a juntar-nos. E mesmo quando depois de mais um ano distante, mas ainda assim perto, apercebi-me que estava na altura de deixar ir de vez. Não deixei de sentir o carinho e amor que tanto nos caracteriza.

Com tanto sentimento não poderia esperar que, do dia para a noite, deixasse de me preocupar. O contacto efémero (e necessário) às vezes magoa-me, muito pela minha necessidade de controlar. E é dessa necessidade de controlar e da sensação de que não o posso fazer que as lágrimas aparecem. Só por isso! Porque sinto-me perdida e por momentos esqueço-me que foi este o caminho que escolhi. Por momentos tive medo de que as lágrimas tivessem outro significado, mas sei que não, cá dentro é claro como água. No final é simples, muito simples. E talvez seja devido a essa simplicidade que a sensação desaparece tão rápido como chega. A dor, a confusão, o desalento são passageiros. E só consigo verificar isso, porque após meses de aprendizagem, começo a saber identificar pequenas nuances da minha pessoa. Detalhes que são tudo, que me confirmam que o caminho é este. Dói, ainda irá doer porque não sei se a distância física irá tornar-se algo maior (e perder acima de tudo um amigo dói, custa). Mas sobre isso não tenho controlo algum… E deixo ir, liberto mais um bocado.

Diz que a vida é isto, ir aprendendo a melhorar. Só me resta ir aprendendo, melhorando a cada momento e enxugar as lágrimas que também fazem parte do aprendizado, que também fazem parte da vida.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D